Home » Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda by John Maynard Keynes
Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda John Maynard Keynes

Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda

John Maynard Keynes

Published
ISBN :
Paperback
400 pages
Enter the sum

 About the Book 

SinopseEm 1936, Keynes publicou o livro mais provocador da sua geração. Teoria Geral, como é conhecido por todos os economistas, solucionou vários nós górdios da discussão pré-keynesiana do ciclo comercial e propôs uma nova abordagem para aMoreSinopseEm 1936, Keynes publicou o livro mais provocador da sua geração. Teoria Geral, como é conhecido por todos os economistas, solucionou vários nós górdios da discussão pré-keynesiana do ciclo comercial e propôs uma nova abordagem para a determinação do nível de actividade económica, os problemas do emprego e as causas da inflação. Os debates acerca do livro prolongaram-se até à morte do autor em 1946 e continuam nos dias de hoje. Apesar de tudo o que foi escrito nos anos posteriores, Keynes e o seu livro ainda representam a ruptura decisiva entre a velha e a nova economia, de onde cada geração de economistas retira inspiração para novas tentativas de desenvolver o seu trabalho.Esta edição contém uma introdução de Paul Krugman, que discute o significado e actualidade da Teoria Geral.Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda de John Maynard KeynesExcerto«Ao longo dos últimos 70 anos, a Teoria Geral tem vindo a moldar os pontos de vista até dos que não ouviram falar do livro ou que acreditam que discordam dele. Um empresário que adverte que a diminuição da confiança representa um perigo para a economia é um keynesiano, quer o saiba, quer não. Um político que promete que os seus cortes de impostos vão gerar emprego ao dar dinheiro para gastar às pessoas é um keynesiano, ainda que jure abominar a doutrina. Até os autoproclamados economistas da oferta, que afirmam ter refutado Keynes, acabam por recorrer a histórias inequivocamente keynesianas para explicarem por que motivo a economia caiu em determinado ano.»Da Introdução de Paul Krugman